TEXTOS DO AUTOR

NAMORAR ALGUÉM OU NAMORAR COM ALGUÉM?

Na data em que se comemora o descobrimento do Brasil, saiba quem Pedro Álvares Cabral namorava, ou se ele namorava "com" as Terras de Vera Cruz.

As regrinhas para se escrever bem não têm a ver com matemática. Explicar melhor? Dois e dois, em linguística, nunca é quatro. Piorou pra você? Ou seja, a norma culta, por vezes, não se coaduna com cartesianismo.

Falemos um pouquinho de namoro. Não! take it easy, não mudei de assunto.

No meu tempo a gente namorava. Até aí tudo bem, você pode dizer. E dizer mais: eu também namoro, duvida? E pode dizer mais ainda, que hoje ninguém namora. Só fica.  Mas o que eu queria dizer mesmo é que no meu tempo a gente namorava uma garota.  Hoje todo mundo namora “com” uma garota.  Não! também não estou falando que todo mundo namora com a mesma menina — nem a conheço! Estou dizendo que paira no ar uma dúvida — “namorar alguém” ou “namorar com alguém”?

“Namorar com” para alguns é solecismo de regência. E como tal, deve ser evitado.

Papagaios também namoramQuem não se lembra de Napoleão Mendes de Almeida (1911-1998), filólogo e gramático purista tão respeitado como combatido? Ele nunca namorou “com” ninguém. Apesar de ter se casado duas vezes, ele só namorou alguém. E como era bravo o Napoleão, não sei se com as namoradas. Brigava muito pelas suas ideias, aliás consideradas por muitos como rígidas demais para o português de hoje.  Em 1993, Napoleão disse na entrevista “Chega de asnices” (revista Veja) que o brasileiro não sabe falar português, principalmente na TV, e que a reforma ortográfica só serviria para alguns ganharem muito dinheiro. Era explosivo o Napoleão, mas muito competente.

Aproveitemos a oportunidade para falar de alguns sentidos do verbo namorar.  Um sentido comum é o de “procurar inspirar amor a, requestar, cortejar, galantear”. Exemplo: “Josélia namorava há coisa de três meses o balconista do Extra”.  Pode-se entender até que ela namorava mesmo. Mas o exemplo pende para o lado de que alguma coisa rolava de energia entre a Josélia e o rapaz. Era flerte, paquera, preliminares quem sabe de um namoro. Por sinal, tenha muito cuidado com as inversões nessa frase. Já imaginou escrever “Josélia namorava a coisa, o balconista do Extra, há três meses.”?  O balconista seria então um estrupício, uma coisa, um arremedo de gente. Vá com calma.

Namorar quer dizer também “olhar com insistência e cobiça, desejar possuir, almejar”. Exemplo: “Pedro namorava a prateleira colorida todo dia”. Fácil de entender que não se trata do sentido mais comum. Não existe possibilidade alguma de Pedro ser visto na praça beijando uma prateleira. E é quase nesse sentido que uma pessoa namora um determinado emprego.  Hoje quando um político está de namoro com alguém ou algum partido, todo mundo entende que há uma intenção (que deixou de ser velada) de trazer um certo nome, ou exportar alguém, para algum curral. Já quando o partido expulsa alguém significa que esse alguém estava namorando o vácuo. Faça de conta que entendeu.

Quando uma pessoa se agrada de algo, pode dizer, sem problemas, que namorou-se desse algo. “Namorei-me do potro marrom.” É o mesmo sentido de “enamorar-se”. Se o potro corresponder, possivelmente, inicia-se uma parceria promissora. Brincadeirinha.

Há muitos outros sentidos de namorar que estão alinhavados nos dicionários comuns e nos dicionários de verbos e regimes. São sempre interessantes de consultar.

Voltemos ao caso do início. Namorar alguém ou namorar com alguém? As duas formas são corretas hoje em dia, afirma a nossa querida e competente professora Maria Tereza Piacentini. Querem tirar uma dúvida de português? Coloquem as palavras-chave no Google, ao lado da palavra Piacentini. Certamente Maria Tereza vai pular na sua tela. E vai mandar suas dúvidas para o espaço. Ao mencionar que namorar pode também ser intransitivo, ela assim se pronuncia quanto ao caráter transitivo desse verbo: “A regência gramatical do verbo ‘namorar’ é sem a preposição (transitivo direto), e é esta a exigida nos concursos. Mas modernamente, por analogia e tendo por modelo casar com e noivar com, também se usa o verbo namorar preposicionado (transitivo indireto)”. Assim, para Piacentini tanto é correto “José namorar muitas moças” como “José namorar com muitas moças”. Cá entre nós, o chato é José ser um missionário (e ter feito voto de castidade) ou simplesmente já ser casado... Quanto a concursos, eu não arriscaria no “namorar com”.

Se Maria Tereza rechaçasse completamente o “namorar com”, eu iria atazaná-la. Professora, está certa a frase “Comecei a namorar com treze anos.”?   Ela por certo iria rir ou dizer grrr...

Aliás, ficou explicado o que eu quis dizer no primeiro parágrafo? Bem, isso não chega a ser tão importante como o descobrimento do Brasil. Mas é certo que Pedro Álvares Cabral e sua tropa, em 22 de abril, namoraram-se das Terras de Vera Cruz.


Aristides Coelho Neto, 22 de abril de 1500, digo, 2010 

Comentários (3)

Voltar