TEXTOS DO AUTOR

Quem é o homem? Quem é a mulher?

A brincadeirinha é saber quem é o homem e quem é a mulher nessa conversa rápida. É só ficção. Na realidade não é bem assim. Ou é exatamente assim?

— Entendeu o lance do certificado?

— Entendi, mas o que posso fazer? melhor você falar com a Zulma, que deve entender bem pois não acho que nesse tempo se consiga, que a Secretaria acho muito chata nisso, podem não ver a coisa bem assim, e criar dificuldades, você sabe do jeito que são, pra quem que eu ligaria? não sei, fico pensando, existem coisas que não dá pra entender, essas leis, essas portarias, resoluções, parece que foram feitas por amadores, com o José aconteceu a mesma coisa, só que era uma situação diferente, por meio do telemarketing, e a gente parece que não tem pra onde correr, se  quer exercer os seus direitos dá muito trabalho, tanto desgaste que melhor deixar bem quieto, quando me lembro do caso da Geisa, que teve de botar advogado, e ainda no dia da audiência ele faltou sem dizer nada, situação crítica, melhor relaxar, ter paciência, minha escova de cabelo não está aqui, por que ninguém atende o telefone? isso está muito errado, eu acho, deveria procurar algum órgão superior, quem sabe ligar para um amigo influente, por que não liga para São Paulo? uma vadia daquela se atreve a bater numa criança indefesa, onde estamos, onde estamos? durma-se com um barulho desses, tanta coisa séria para se pensar e aparecem dessas, não vislumbro neca assim de repente, mas antes de mais nada o melhor é não perder a calma nessas situações, receita pra tudo, não perder a calma, nunca, e pensar numa solução, a solução tem de aparecer, deve haver um jeito...

— Queria dizer que já está tudo resolvido.

Aristides Coelho Neto, 20.3.2009

Comentários (3)

Voltar